sábado, 8 de março de 2008

10) Princess Peach, Zelda, Joanna Dark, Lara Croft?? Que nada!! A mulher que é a maioral no mundo dos games se chama Samus Aran!!!

E mais uma semana se passou. Isso significa mais um post desse blog!!! :)

E hoje, como todos sabem, é o Dia Internacional da Mulher. Esse ser cheio de manias (como se nós homes não tivéssemos as nossas); que, em muitas ocasioes não conseguimos entender (especialmente em certos dias); que implicam com a gente quando vamos jogar ou assistir futebol com os amigos; mas que, pela sua beleza (adjetivo totalmente ligado a elas), sensibilidade, carisma, instinto maternal, pelos conselhos que sempre nos dão, além de milhares de outras qualidades que não daria para mencionar aqui, amamos e não conseguimos conviver sem elas. Em nome desse blogueiro de meia-tijela, dou os meus parabéns a todas as mulheres!!! Só por aturar esse ser peludo, bruto e mal-educado chamado homem, vocês merecem todas as felicitações do mundo!!!

Além disso, é claro, não poderíamos deixar essa data passar em brancas nuvens. Hoje, comentarei sobre um jogo que tem uma mulher como personagem principal. Um jogo que, por esse blogueiro, é considerado o MELHOR jogo do SNES e TODOS AS PLATAFORMAS DE GAMES (empatado com o Ocarina of Time, do N64). Sem mais delongas, apresento a vocês a personagem feminina que é a maioral no mundo do games. Com vocês, Samus Aran:

E, o jogo em questão, o único feito para SNES:


1) Nome do Jogo -
Super Metroid


2) Plataforma - SNES

3) Datas de Lançamento - Japão - 19 de Março de 1994
EUA - 18 de Abril de 1994
Europa - 28 de julho de 1994

4) Produtora - Nintendo

5) Distribuidora - Nintendo

6) Gênero - Aventura/Ação

7) História - Super Metroid parte exatamente do final do segundo jogo da série (Metroid II: Return of Samus, para Game Boy), onde a caçadora de recompensas Samus Aran finalmente conseguiu erradicar todos os Metroids e com Mother Brain. Entratanto, Samus é seguida por uma pequena larva Metroid que acredita que a caçadora é a sua mãe. Sendo assim, ela decide levá-la para os cientistas da Estação Espacial de Ceres, onde descobrem que os poderes contidos nessa larva podem trazer muitos benefícios para a humanidade.

Assim, Samus deixa a Estação Espacial e parte para novas missões, entretanto, ela intercepta uma transmissão, que informa um ataque a Estação Espacial de Cerespel opirata espacial Ridley, que queira roubar a larva para fins maéficos. Samus então chega a Estação mas é tarde demais, o pirata Ridley fugiu partindo para o planeta Zebes. Assim, Samus parte para Zebes a fim de arruinar mais uma vez com os planos do vilão (e salvar o universo mais uma vez)

8) Impressões Pessoais -

Perfeição - Adj. 1. Que reúne todas as qualidades concebíveis. 2. Que atingiu o mais alto grau numa escala de valores; incomparável, único, sem-par. 3. Que corresponde precisamente a um conceito ou padrão ideal. 4. Ótimo, excelente, irrepreensível.

Em muitos momentos da nossa vida, ao nos depararmos com uma situação qualquer (seja vendo um filme, ouvindo uma música, estando com uma garota/mulher, etc...), que nos proporciona um momento de pura satisfação e extase, nos respiramos fundo e falamos; "Esse momento é PERFEITO!!". Será mesmo? Bom, para nós, naquele momento, isso era verdade. Contudo, depois de um tempo, graças a uma característica na qual todos nós possuímos ( o chamado senso crítico), após uma reflexão, percebemos que aquele momento não chegou exatamente a perfeição. Bom, pelo menos não a perfeição descrita acima, retirada do Aurélio. por ocnta diso, taxar qualquer coisa de PERFEITO causa uma grande controvérsia, é mais de meio caminho andado para uma discussão. Bem, é como dizem: "Gosto não se discute." Será que não se discute mesmo???

Bom, diante disso, vou cutucar um pouco vocês. Super Metroid é o que chamaria de um jogo PERFEITO!! Pronto, falei!!! Já estou ouvindo até as reclamações de muitos que acessarão o blog um pouco de delírio não faz mal a ninguém...hehehe):

- P**ra!! O cara vai considerar um jogo de SNES, de mais de 10 anos atrás, perfeito???? Agora ele endiodou de vez!!!

Ou ainda:

- Ca**lho!!! O cara vive de passado mesmo!!! Um jogo em 2D perfeito!!??

Compreendo e respeito (apesar dos palavrões omitidos...) todas as opiniões contrárias que vierem. Afinal de contas, é como disse no início desse texto, "Gosto não se discute". Entretanto, não posso ficar estático e calado diante dessas opiniões sem ao menos defender o "objeto da discórdia", já que todo acusado tem o direito de ter uma defesa. Sendo assim, lá vai:

a) A Apresentação: Diferente da maioria dos jogos do SNES naquela época, temos uma apresentação simples, mas que já indicava todo o tom do jogo: um pequeno vídeo, tendo ao fundo imagens de uma larva Metroid que foi capturada, além da trilha sonora totalmente imersiva, o que já mostra a preocupação da Nintendo em manter o clima de suspense do jogo.

b) Os primeiros movimentos: Depois, ao iniciar o jogo, temos um dos momentos mais cinematográficos da história dos videogames. Temos Samus contando todos os eventos que sucederam o jogo anterior, intercalando com cenas desse relato, e tudo isso com a trilha sonora imersiva do jogo. Isso até o momento em que Samus diz que a Estação sofreu um ataque. Nesse momento a trilha sonora cessa e somos transportados para a base atacada, quando passamos a controlar Samus. Então, passeando pelos corredores vazios (onde podemos ver os corpos dos cientistas atirados no chão, provávelmente mortos), vemos, na última sala, a larva Metroid abandonada. Quando nos aproximamos dela, aparece Ridley, pronto para roubá-la. Após uma batalha perdida (ela dura até a sua energia ficar no nível mínimo), Ridley foge, levando a larva Metroid com ele. Nisso, chega a informação de que a Estação Espacial irá explodir em 1 minuto, e assim inicia-se uma fuga desesperada de Samus (controlada ainda pelo jogador) até o elevador principal. Ao chegar no elevador, temos a cena da nave de Samus escapando no exato momento da explosão da Estação. Samus então segue Ridley até o palneta Zebes, onde se inicia a aventura.

Me respondam uma coisa: é ou não é um momento cinematográfico, comparável aos melhores filmes sci-fi existentes? Nessa nova onda de Hollywood de adaptação de jogos, penso como seria do carvalho um filme baseado no Universo Metroid...Pensando bem, melhor parar de pensar nisso. Vai que o Uwe Boll lê esse post e resolve fazer mais um filme? hehehe....

c) O jogo em si: Todo esse clima sci-fi se mantem durante todo o jogo. Tecnicamente é um dos jogos mais bem executados de toda a história da Nintendo, e que ajudou a inserir o Universo Metroid na chamada "Tríade de Ouro" da Nintendo (As séries "Mario" e "Zelda" completam essa tríadde), tratada como jóias raras e de indiscutível qualidade, além de serem sinônimos de vendagens milhonárias... Os gráficos a princípio podem parecer simples, mas se adequam perfeitamente ao clima do jogo, contando com uma direção de arte fabulosa, para dizer o mínimo. Corredores sombrios, inimigos das mais variadas formas e tamanhos (desde diminutos até aqueles que cobrem toda a tela, corredores apertados, tudo isso contribui para que o jogador se sinta em um filme de sci-fi. No quesito gráfico, destaque para os chefes de fase, pla sua inventividade e variedade, além do fato de vários deles serem gigantes.

Outro ponto a se destacar é a parte sonora. A trilha sonora é simplesmente perfeita, dando o clima sombrio que o jogo precisa. Desde o tema clássico de abertura, passando pelo tema inicial do jogo (quando você entra na Estação Espacial), o tema de batalha dos chefes ( simplesmente o melhor tema já criado para esse momento do jogo), até o tema do chefe final (novamente Mother Brain), é de ficar no mínimo admirado ao perceber como a Nintendo é craque em fazer com que os jogadores se sintam totalmente inseridos no jogo, como se fossem o próprio personagem. Não é a toa que existia o "Nintnedo Seal of Quality", que atestava o "Método Nintendo de excelência na confecção de jogos". Bem que ela poderia voltar com esse selo...

Não podemos esquecer do mundo de Zebes. Que, aliás, era MUITO extenso. Tão extenso que o jogo se passava exclusivamente nele, com vários sub-estágios para percorrer. Aqui é um campo de discórdia: para muitos jogadores, isso é perfeito; para outros, isso tornava o jogo chato e cansativo. O motivo disso é que, em vários momentos, era necessário voltar para uma determinada sala, uam vez que algumas áreas só se tornavam acessíveis quando era coltado algum power-up para a personagem. Particularmente, acho isso ótimo, pois ajudava no clima sci-fi do jogo,além de dar uma marca ao jogo, que era a total exploração do cenário. Isso foi adotado em vários jogos que sucederam esse, sendo o mais famoso deles "Castelvania: Symphony of the Night", para PSOne.


A jogabilidade mantém o padrão de excelência dos jogos com o "Nintendo Seal os Quality". Os comandos são precisos e bastante intuitivos, contribuindo também para a imersão do jogador. E ainda temos a dificudade do jogo, dosado na medida certa, tanto em relação a exploração TOTAL do cenário (que, mesmo não sendo necessário para terminar o jogo, é muito mais prazeroso e gratificante), quanto aos chefes de fases (alguns realmente bastante complicados de se vencer).

d) A recepção: Como foi dito anteriormente, "Super Metroid" foi o jogo que garantiu em definitivo o lugar dessa série na "Tríade de Ouro" da Nintendo. Não é para menos: o jogo vendeu 1,5 milhões de unidades, o que é uma marca excelente para época. Mais do que isso: não se fala em Top de melhores jogos sem mencioná-lo. Qualquer top citado em quanquer ano desde 1994 cita "Super Metroid", normalmente nas primeiras posições. Para provar que não estou mentindo, veja o que é citado no wikipedia sobre as colocações nas mais vairadas revistas de games no mundo:
- EGM: 1º Lugar;
- IGN - 4º Lugar (na opinião dos leitores) / 3º Lugar (opinião dos editores - 2003);
- Super Play - 6º Lugar;
- Famitsu - 2º Lugar;
- Gamepro - Em uma recente reportagem, elegeu Super Metroid como "um dos 15 jogos retrô que você precisa joga no Wii (via Virtual Console);

Isso sem falar nas listas dos inúmeros blogs sobre games que temos na rede.

e) O Veredicto final: Por todas essas qualidades, recomendo a todos que conheçam (e joguem) a saga Metroid, em especial o jogo do SNES. Ao jogá-lo, presenciarão como se faz um jogo extremamente sombrio e com um enredo intrigante em 2D, sem precisar de gráficos tridimensionais para isso. Apesar de muitos conhecerem heroínas nos games apenas a partir da série "Tomb Raider", há 10 anos atrás uma caçadora de recompensas já assombrava os consoles da época, com uma saga envolvente, tendo o seu ápice nesse jogo lançado em 1994. Sendo assim, o posto de melhor personagem feminina de um game já tem uma campeã: Samus Aran!!!

9) Fotos do jogo -












3 comentários:

Ivan disse...

Oi sei que meu comentári/pedido, mais pedido que comentári,não tem a ver com seu post,ma seu pergunto:
Vc conhece o joguinho de corrida GRAND PRIX? se já,sabe seeu tenho como baixá-lo, se sim, sabe onde? se não....buáááááaáá Prá mim foi o melhor jogo de corrida que eu já joguei. Abraços primo

A.L.A.S. disse...

Fala Ivan!!!!

Cara, dá uma olhada nesse site e vê se é esse jogo?

http://www.abandonia.com/en/games/400

Aliás, o Abandonia é um site muito bom, tem um belo acervo de jogos antigos para PC. Eu recomendo!!

Abraços cara!!

ltrhpsm disse...

Silva, sabia que tínhamos um negro na turma, haha! Pelo menos outro alguém que ainda faz referência ao samba. Pode deixar que ficarei ligado nos seus blogs, sei que o de games é retrô, mas se puder falar algo do Wii, agradecerei - ou mesmo neste. Abraço e boa sorte, se quiser, visite o meu, com os resumos de cinema e carnaval.